Caminhe Pelo Beco De Grafite de Toronto

By Gabriela Ramalho

O grafite não é mais o movimento underground e fora do radar que costumava ser. No documentário Exit Through the Gift Shop, sobre Banksy, o cineasta Mr. Brainwash, que virou grafiteiro, retratou o grafite como arte e não vandalismo. Em 2011, o Museu de Arte Contemporânea causou comoções no mundo artístico com a sua Art in the Streets, a primeira grande exposição em um museu dos Estados Unidos sobre a história do grafite e arte de rua. Enquanto o grafite vem prevalecendo no mundo, a galeria Toronto’s Graffiti Alley (Beco de Grafite de Toronto), tem sido uma zona de grafite protegida desde muito antes de o mundo da arte considerar legitimar este trabalho.

O Graffiti Alley, localizado no distrito de moda de Toronto, passa pelo sul da Queen Street e Spadina Avenue até Portland Avenue. Seu nome deveria ser “becos” visto que seu espaço é equivalente a mais de 11 campos de futebol de parede grafitada. Você pode ir lá por conta própria, mas recomendamos ir de bicicleta junto com o Toronto Bicycle Tours ou um passeio a pé com a Tour Guys, especializada no Graffiti Alley.

Os guias de ambos os grupos são extremamente entendidos no assunto. Você irá aprender sobre as obras dos artistas proeminentes, parar em imagens relevantes ao longo do caminho e conhecer os detalhes da relação de amor e ódio existente entre Toronto e o grafite.

Você provavelmente não irá encontrar imagens de artistas mundialmente conhecidos no Graffiti Alley (as imagens de Banksy foram cobertas há um bom tempo), mas você poderá observar as obras de artistas bem conhecidos na cena de Toronto. De acordo com Jason Kucherawy, que faz parte do Tour Guys, Uber, Poser, Elicser, Skam, Spud, Sight, Birdo, Stage, Psycho, Bacon, and Artchild são apenas alguns artistas com trabalhos expostos no “beco”.  Quando você encontrar um pássaro amarelo meio gordinho (na foto abaixo), é com certeza uma peça de Uber. Mas, se você visualizar um coelho cumprido e distorcido (na foto acima), significa que Poser passou por lá.

Como os mandalas de areia dos monges tibetanos, as imagens grafitadas são passageiras. Aqui e agora, já esquecida amanhã, ou bem possivelmente esquecida daqui 15 minutos. Portanto, a experiência de caminhar pelo beco de arte público de Toronto nunca se repete.

Como isso é legal, você pode perguntar? Bem, as legalidades são uma arena tanto para os residentes como para a polícia. A polícia não impõe o estatutos de vandalismo desde que eles não grafitem em outras áreas. A maioria dos moradores do Alley Graffiti permitem que os grafiteiros pintem a parte de trás e laterais de seus edifícios, contratam os artistas ou, no mínimo, não se incomodam em limpar as paredes.

Então é algo legal, principalmente no ponto de vista dos moradores de Toronto que se orgulham deste tributo à arte alternativa exibida corajosamente em diferentes cores e formatos ao longo do Graffiti Alley.

E para acrescentar algo a mais à “experiência artística” em Toronto, se hospede no Gladstone Hotel. Gladstone é um hotel moderno e histórico com um museu de arte moderna no segundo andar, quartos com design de artistas e o Bar Melody com música todos os dias.

For english translation go here.

Tags: